Calendário de Eventos
 

 
 
 

EXCESSO DE AGRESSIVIDADE: O MAIOR OBSTÁCULO PARA A COMUNICAÇÃO


Texto: Pastor Derly Neves

 

Prezados pais e amigos. Aqui estamos para esse terceiro contato. Desejo que os dois primeiros tenham sido bastante proveitosos para os pais leitores que estão interessados nesse assunto.

 

No artigo anterior, demos atenção ao diálogo como sendo a parte mais importante e emocionante da comunicação. Creio que todos estão lembrados que abordamos, entre outras coisas, os obstáculos que atrapalham e impedem um diálogo franco e proveitoso. Hoje, queremos abordar o maior de todos os obstáculos que é o excesso de agressividade.

 

Não sei se o leitor já observou como as pessoas andam excessivamente agressivas. Todos estão armados contra todos. Atritos no ônibus, no trabalho, na rua e, o que é pior, até na família. Como disse Jesus: "nação contra nação, reino contra reino". Até quando se assentam na mesa de negociações podemos perceber que todos estão armados do mesmo sentimento: se não concordarem comigo vou virar a mesa. Não é isso mesmo?

 

Surge, então, a pergunta: Por que esta agressividade excessiva?
Outra melhor: podemos acabar com esse clima de agressividade?
Por onde começar? Resposta: na família.

 

Vejamos algumas causas do excesso de agressividade.

 

TEMPERAMENTO
Coloco essa causa como a primeira porque vem de dentro da pessoa, independente da forma como ela tem sido tratada. Creio que algumas pessoas poderiam argumentar que não é bem assim, que a agressividade gera agressividade. O que diríamos então de bebês que, com apenas oito ou dez meses de idade já tentam bater no rosto do pai ou da mãe? Essa é uma idade em que são tratados com todo carinho. De onde vem a agressividade desses bebês? Do temperamento. Na fecundação do óvulo pelo espermatozóide os cromossomos se unem aos pares e os genes se dispõem de tal maneira que formam a matriz genética do novo ser humano. Nessa matriz já estão implícitos todos os caracteres físicos e psicológicos fundamentais da pessoa. Eu disse caracteres psíquicos fundamentais porque muitos outros são formados no decorrer do relacionamento com o mundo exterior, mesmo desde antes de nascer. A agressividade está presente em todos os temperamentos, mas alguns são mais propícios a ela.

 

CRIAÇÃO
Juntando as tendências do temperamento com a maneira como a pessoa foi criada na infância temos um outro fator fortemente determinante do excesso de agressividade. Crianças criadas aos gritos, ameaças e palavras depreciativas, desenvolvem uma espécie de auto defesa em forma de agressividade. Nesse caso, terá tendências para explosões de gênio sempre que contestada ou contrariada, tornando-se uma pessoa altamente crítica de tudo e de todos. É por isso que muitos meninos e meninas na adolescência e juventude se tornam muito agressivos com os pais e amigos. Cortam o relacionamento com os pais, não querem ouvir e acham que se lhes derem atenção ouvirão mais e mais críticas. Não gostam de ouvir o que os pais têm a dizer, ainda que esses estejam certos. O problema não é criticar; o problema é fazê-lo de forma desagradável e até indelicada.

 

A INTIMIDADE FAMILIAR
Coloco aqui a intimidade familiar não por ser causa de excesso de agressividade, mas a compreensão errada dessa intimidade é que se torna causa de agressividade. Temos a impressão que podemos falar o que quiser e da maneira que quisermos com os nossos familiares, justamente por ser nossos familiares. Isso é totalmente errado. Devemos tratar nossos familiares com a mesma cortesia com que tratamos nossos amigos. Se os pais tratassem seus filhos com o mesmo tato com que tratam seus amigos, e até os colegas de seus próprios filhos, eles teriam um resultado muito satisfatório nesse diálogo. Essa forma diferente de tratar os familiares gera revolta e provoca excessiva agressividade também.

 

VÍTIMAS DA VIOLÊNCIA
Pessoas que na infância foram violentadas fisicamente, espancadas ou maltratadas, desenvolvem dois mecanismos de defesa. Um deles é ser extremamente agressivo também. Nesse caso é verdadeiro o ditado: "violência gera violência". Essa agressividade excessiva pode levá-las até ao assassinato. O outro mecanismo é fechar-se dentro de si mesmo com medo da vida, baixo grau de auto-estima, tornando-se depressivo com tendências ao suicídio.

 

DECEPÇÃO
Como já falamos em artigo anterior, na adolescência o ser humano tem decepções com os seus pais, autoridades civis e religiosas e com as instituições. Isso causa revolta. É como se o adolescente dissesse assim: "fui enganado". Essa revolta torna as pessoas muito mais agressivas.

 

EGOCENTRISMO
A razão psicológica mais profunda está numa grande falha de personalidade da qual todos nós somos vítimas, uns mais outros menos. Essa falha chama-se egocentrismo. A pessoa excessivamente egocêntrica faz de si mesma e de seus interesses o centro do universo. Como ela se preocupa excessivamente consigo mesmo perde de vista todas as coisas que estão fora delas. Ficam, portanto, sem objetivos. Tudo que contraria seus interesses é atacado fortemente.

 

Bem, creio que já consideramos as possíveis principais causas do excesso de agressividade. Como, porém, podemos nos livrar dela? Vejamos alguns meios.

 

ATRAVÉS DA RAZÃO
Precisamos nos conscientizar que agressividade é uma atitude inconsciente, impulsiva e irracional. Analise sua agressividade à luz da razão e verá que, afinal de contas, não precisa ser tão agressivo. Você não é obrigado a continuar agindo dessa forma. Através de uma atitude racional e criativa você descobrirá outras formas de expressar seu descontentamento. E, além de tudo, a pessoa extremamente agressiva é essencialmente indelicada.

 

AUTO DISCIPLINA
Depois do auto exame acima, você deve se obrigar a tomar determinadas atitudes de auto controle. Deve se auto policiar ou auto disciplinar. Quem procede assim não corre o risco de ser julgado por seu semelhante. È melhor sermos humildes e reconhecer nosso erro do que sermos humilhados por outras pessoas.

 

APROVEITANDO AS CRÍTICAS RECEBIDAS
As pessoas muito agressivas se julgam no direito de criticar tudo e todos, porém, ficam furiosas quando são criticadas. Adquira o hábito de considerar atentamente as críticas recebidas ao invés de justificar-se veementemente.

 

EXPERIÊNCIA CRISTÃ
Caro leitor. Como pastor e, acima de tudo, como cristão convicto, estou certo de que o melhor meio de nos livramos de nosso egocentrismo, nosso temperamento e nossa excessiva agressividade, é através da experiência cristã chamada de conversão. Nessa experiência a totalidade do nosso ser é como que recriada ou refeita. Essa experiência muda completamente nossa maneira de ser, agir e pensar. Na linguagem do apóstolo Paulo, nos tornamos "nova criatura" (II Coríntios 5.17). Os métodos que recomendamos não surtirão muito efeito sem essa experiência. Quando temos Cristo em nós pela fé, Deus nos enche do seu amor. Paramos de pensar mais em nós mesmos e passamos a fazer do bem-estar dos outros o objetivo de nossas vidas. Isso se chama altruísmo que é o contrário de egoísmo. A pessoa egoísta na consegue ser feliz, pois está sempre contrariada e aborrecida. Esse amor que Deus coloca em nossos corações está descrito em I Coríntios 13. O apóstolo Paulo declara que esse amor não se irrita além de outras posturas maravilhosas. Só isso já ajudará bastante, pois a irritação sempre antecede ao excesso de agressividade.

 

PROJETO VIDA URGENTE
Rua Vanísia, 60 (Rua do Posto de Saúde) - Santa Cruz da Serra
Duque de Caxias - RJ

Telefones: (21) 2679-2648 / (21) 7138-0767 / (21) 7855-9648

REUNIÕES DE AJUDA PARA DEPENDENTES QUÍMICOS E FAMÍLIAS
Todos os sábados, às 19 horas